O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (26), que há escassez de doses da CoronaVac no Brasil. O motivo é o atraso na chegada do princípio ativo da vacina, o IFA, que vem da China e que é utilizado pelo Instituto Butantan na fabricação do imunizante contra Covid-19.

A falta de vacinas ocorre pouco mais de um mês depois do próprio Ministério da Saúde ter autorizado que os municípios utilizassem todo o estoque, ou seja, sem guardar imunizantes para a segunda dose. O ministro reconheceu que o ritmo de entrega de vacinas preocupa. O desabastecimento já afeta todo o país, inclusive Volta Redonda.

Queiroga fez um balanço do total de doses que serão entregues aos municípios. A previsão era de que fossem entregues 47 milhões e houve redução para 26,6 milhões em abril. Para maio, o número caiu de 46 milhões para 32,4 milhões de doses.

No último domingo (25), a prefeitura de Volta Redonda recebeu 1140 doses da CoronaVac e fez nesta segunda-feira (26) a vacinação da segunda dose de pessoas com 75 anos ou mais. Nesta terça-feira (27) será feita a aplicação da segunda dose em pessoas a partir de 74 anos. A imunização avançará conforme o Ministério da Saúde envie novos lotes da CoronaVac.