O município de Resende ganhará reforço para o monitoramento dos rios em pontos estratégicos: três sensores de nível e quatro pluviômetros manuais. A ampliação do sistema de monitoramento do Rio Paraíba do Sul e seus afluentes faz parte de uma série de melhorias promovidas pela Prefeitura de Resende, por meio da Diretoria-Geral de Defesa Civil (DGDC).

A partir de solicitação feita pela Defesa Civil do Município, a equipe técnica do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) visitou esta semana, os locais previamente escolhidos para futura instalação dos equipamentos, que deverá acontecer após a conclusão do estudo de viabilidade. Em paralelo, na terça-feira, dia 18, agentes da Defesa Civil de Resende e de outros municípios participaram do Curso Básico de Meteorologia e Monitoramento Hidrometeorológico, realizado em parceria com a Seas (Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade), do Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Inea e da Universidade do Ambiente.

Ineditamente, os sensores de nível para acompanhamento dos rios, disponibilizados pelo Inea, serão implantados em três locais: no Rio Paraíba do Sul, em frente à sede da Administração Municipal; no Rio Alambari, altura do bairro Jardim Tropical; e no Córrego Água Branca, altura da sede da Administração Regional de Engenheiro Passos. Além disso, serão instalados quatro pluviômetros manuais, possivelmente, nas seguintes áreas: Engenheiros Passos, Vicentina, Vargem Grande e Vila da Fumaça.

O diretor-geral de Defesa Civil de Resende, Flávio Germano da Silva, explicou como funciona o sistema de monitoramento dos rios atualmente, salientando que a nova aquisição está sendo viabilizada a partir de reunião ocorrida na capital fluminense.

— A Defesa Civil, desde o início de janeiro, vem publicando o Boletim de Proteção e Defesa Civil, com dados sobre a previsão meteorológica para as próximas 24 horas, ocorrências de destaque e monitoramento dos rios e níveis pluviométricos. O monitoramento foca os níveis dos rios do município e seus afluentes – Sesmaria, Rio Paraíba do Sul e Rio Preto, bem como a quantidade de chuva acumulada por tempo avaliada nas estações automáticas de Alphaville, Cidade Alegria e Visconde de Mauá, instaladas pelo Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais). A Estação Hidrológica do Rio Sesmaria, que capta dados via radar para o satélite, funciona na ponte do Alphaville, e mede o nível do afluente. Após um mapeamento de risco, em janeiro passado, a Defesa Civil de Resende requereu junto ao Inea, no Rio de Janeiro, que fossem instalados sensores de nível, indicadores de volume de água dos rios utilizando o método de pressão, nos rios de Resende. Estes aparelhos, que são eficientes e de baixo custo, possuem baterias que serão carregadas por painel solar – frisa.

 De acordo com o diretor-geral, os novos equipamentos vão ajudar a expandir a área de cobertura, aprimorando o campo de visão para alertas mais precisos dentro de um intervalo de tempo menor.

— A partir de levantamento, foi constatada a necessidade do aumento de equipamentos do nosso sistema de monitoramento, sendo escolhidos três locais considerados apropriados e de importante impacto para a população: no Rio Paraíba do Sul, em frente à Prefeitura; no Rio Alambari, altura do bairro Jardim Tropical; e no Córrego Água Branca, no distrito de Engenheiro Passos. Os sensores, colocados no fundo dos rios, vão fornecer os dados para uma central, que alimentará a base do Inea. O sistema otimizado, com equipamentos baseados em áreas de risco, vai contribuir para melhorar o trabalho preventivo, com acompanhamento em tempo real e emissão de alertas mais precisos e bem antecipados, evitando grandes transtornos com a execução de medidas necessárias diante de possíveis alagamentos e inundações, por exemplo. A nova estrutura vai gerar mais segurança e credibilidade para a população – informa, reforçando que o papel da Defesa Civil, além de atender os casos de emergência e calamidades públicas, é desenvolver tais atividades preventivas.

Além dos sensores de nível, o Inea doará quatro pluviômetros manuais. “O município ainda vai adquirir quatro pluviômetros, que deverão ser alocados nas seguintes áreas: Engenheiros Passos, Vicentina, Vargem Grande e Vila da Fumaça. A Defesa Civil de Resende ajudará na manutenção destes aparelhos, que deverá ocorrer uma vez por mês, em auxílio ao Inea, que já possui uma equipe especializada contratada para o serviço. As intervenções nos pluviômetros servem para garantir o bom desempenho da leitura dos dados técnicos. O Curso Básico de Meteorologia e Monitoramento Hidrometeorológico realizado no último 18, abordou diversos temas pertinentes ao sistema, inclusive, conhecimentos relacionados à manutenção. Cerca de 35 agentes participaram do curso de capacitação”, acrescentou o diretor-geral.

Para acessar os últimos boletins no site oficial da Prefeitura de Resende, confira o passo a passo: www.resende.rj.gov.br > Menu > Órgãos e Secretarias > Diretoria-Geral de Defesa Civil (DGDC) > Mais > Boletins. O boletim reúne informações pesquisadas nos sites do Cemaden, Inea, Climatempo e CPTec/Inpe (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos – Instituto de Pesquisas Espaciais).

 

PRÓXIMO ENCONTRO

O próximo treinamento, direcionado para agentes de órgãos da Defesa Civil da região, está previsto para março, com data e local a serem confirmados. O encontro com a temática sobre ‘Risco Geológico’ será realizado pelo Serviço Geológico do Brasil – CPRM, que está vinculado ao Ministério de Minas e Energia por meio da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Serão abordados assuntos sobre deslizamentos de terra, deslocamentos em massa, remoção de vítimas e situações de emergência, entre outros.