A Prefeitura de Resende já publicou e tornou público em seu site oficial o edital de concorrência para definir a nova empresa de transporte público de passageiros, que vai operar as linhas municipais a partir de uma licitação. O edital prevê que a vencedora deverá apresentar a "melhor proposta a partir da combinação dos critérios de menor valor da tarifa do serviço público a ser prestado com o de melhor técnica".  

Com isso, está confirmada a data marcada para a licitação, que vai ocorrer no dia 1º de julho de 2020, às 13h30, pela Comissão Permanente de Licitação, quando acontece a "sessão de abertura dos trabalhos". Até lá, os documentos de habilitação e propostas serão recebidos oficialmente para passar por avaliação. A empresa vencedora, a partir do início da operação das linhas, terá seis meses para divulgar e programar a implantação dos serviços propostos no plano de reestruturação, que prevê a reorganização do serviço e diversas medidas para ampliar a qualidade do transporte. 

"Tudo que preparamos foi feito a partir da obrigação de oferecer à população de Resende um transporte melhor, com mais dignidade, segurança, conforto e pontualidade. Esse é o desejo dos usuários. Cumprimos todas as etapas, fizemos uma grande audiência pública, abrimos espaço para envio de sugestões. O resultado é esse edita, feito a partir da opinião de quem mais precisa de transporte público em Resende", disse o Secretário Municipal de Governo, Elio Rodrigues. 

Entre as melhorias previstas, a nova empresa terá de dispor de sistemas, softwares e equipamentos necessários para monitoramento e vigilância monitorada, bem como de aplicativos que possibilitem uso de wi-fi pelos passageiros.  

Haverá também uma ação voltada especialmente para Avaliação de Qualidade dos Serviços, assim como a empresa vencedora terá de dispor de um serviço de informações aos usuários, local onde serão também feitas sugestões e reclamações. Neste caso, além do espaço físico, a empresa terá de colocar uma linha de telefone gratuita para receber chamadas. Outra novidade é que será obrigatório para a empresa promover e manter um programa de treinamento e capacitação dos funcionários que vão atender ao público.    

Outro item do edital obriga que a empresa vencedora da licitação execute serviços complementares no transporte público. E chama atenção especialmente no que diz respeito ao serviço de transporte especial de vans para usuários de mobilidade reduzida.  

Uma das maiores diferenças entre o contrato atualmente em vigor e o próximo se dá pelo maior controle da Prefeitura sobre os serviços prestados. Por exemplo, as características operacionais como itinerário, frequência, frota e número de linhas poderão ser alteradas a critério do governo municipal. Da mesma maneira, a quantidade de veículos rodando também pode ser aumentada, sempre que for necessário para melhor atender o usuário.