Essa quinta-feira (28), foi marcada pela reabertura do comércio de Volta Redonda. Como os eixos estabelecidos pelo município quanto aos números da Covid-19 (casos suspeitos e confirmados e ocupação de leitos hospitalares) permaneceram dentro dos parâmetros durante uma semana, os lojistas puderam reabrir os estabelecimentos comerciais, o que provocou intensa movimentação nos principais centros comerciais da cidade, como Vila Santa Cecília (Sider Shopping) e avenidas Amaral Peixoto, no Centro e Sávio Gama, no Retiro. Algumas lojas chegaram a registrar filas para entrada dos consumidores, obedecendo as regras de ocupação no interior dos estabelecimentos.

Na semana passada, o prefeito Samuca Silva havia decretado o fechamento do comércio por um dos eixos ter extrapolado as metas por dois dias consecutivos.

A Prefeitura de Volta Redonda atualizou nesta quinta-feira, dia 28, os dados sobre o combate ao Novo Coronavírus na cidade. São 882 casos confirmados na cidade, sendo que 2.532 foram notificados como suspeitos. 808 pessoas podem ser consideradas curadas. Os óbitos confirmados por coronavírus são 31.

Os seis eixos de monitoramento condicionantes para a reabertura do comércio seguem dentro da meta: o número de casos suspeitos não aumentar mais que 5% por dois dias seguidos (4,54%); A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (14,81%). A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (10,52%). O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

Retornaram as atividades os serviços de escritório, apoio administrativo e outros serviços prestados; atividades profissionais, cientificas e técnicas; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; informação e comunicação; comércio e reparação de veículos automotores; alojamento; bares e restaurantes (com horário reduzido, de 10 às 19 horas); comércio varejista (de 14 às 22 horas); setor de serviços; seleção e agenciamento e locação de mão de obra;  atividades imobiliárias; além de agências de viagem, operadores turísticos e serviços de reserva; e shoppings (com horário de 14 às 20 horas).

Com as mesmas regras anteriores, também seguem funcionando supermercados; horti-fruti; farmácia; óticas; material de construção; clínicas médicas; laboratórios; agropecuária (venda de ração e comida de animais); e padarias.

Na segunda-feira (01/06), o Ministério Público do Rio de Janeiro deve dar um parecer sobre o cronograma apresentado pelo governo municipal para a flexibilização do funcionamento de outros setores.