Visando traçar um perfil da agricultura de Barra Mansa, a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural, está realizando um levantamento sobre a produção no município. Nesta primeira etapa, o foco é a cultura de olerícolas, que englobam raízes, folhosas e frutos. O estudo, iniciado nesta quinta-feira (05) em Santa Rita de Cássia, apontará questões fundamentais para o desenvolvimento do setor e será a base para a realização de um cadastro. O trabalho tem previsão de acontecer pelos próximos 30 dias.

O mapeamento é realizado por uma comissão composta por quatro funcionários, que vão a campo para apurar os seguintes dados: produção, propriedade, tipos de produtos, quantidade, forma de comercialização, dificuldades e força de trabalho (familiar, contratados permanentes ou temporários). As informações ajudarão a buscar meios de ampliação do cultivo e a expansão para os mercados consumidores, incluindo os programas de alimentação escolar.

O secretário de Desenvolvimento Rural, José Luiz Vaneli, o Leiteiro, destaca a importância que a produção rural tem para o município. “Estamos sempre pensando no melhor para o produtor rural. A intenção deste mapeamento é que ampliem o mercado de venda para que, a cada dia, possam produzir mais. Nosso foco é ajudar a agricultura familiar. O campo tem se destacado cada vez mais e Barra Mansa tem potencial de melhorar ainda mais. Que essa parceria permita colocarmos produtos de qualidade e sempre fresquinhos na mesa do consumidor”.

Até o momento, Barra Mansa não possuía um estudo detalhado da produção rural do município. Para iniciar este trabalho, foi realizada uma pesquisa prévia, junto às instituições ligadas ao setor e consultas a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) e ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através do Censo Agropecuário. 

A coordenadora de Desenvolvimento Rural e da comissão, Danielle Fidelis, explica a importância do mapeamento. “Essas informações são de grande relevância, tanto para os agricultores, quanto para as instituições públicas ligadas ao setor primário. Queremos que isso possa subsidiar no direcionamento de tomadas de decisões. Com esse estudo, teremos um retrato, um diagnóstico dessa realidade, e com isso podemos detectar quais são os pontos que podemos avançar, melhorar e potencializar a produção no município, como também quais são as nossas fraquezas”.

 

Foto: Divulgação