Nesta sexta-feira (29), A CSN - Companhia Siderúrgica Nacional anunciou a paralisação do alto-forno 2 de sua usina. Há duas semanas o presidente-executivo da empresa, Benjamin Steinbruch, já havia tratado dessa hipótese, uma vez que a demanda por aço no país está pequena por conta da epidemia do novo Coronavírus.

A companhia, no entanto, não informa quantos trabalhadores serão demitidos por causa dessa decisão. Estima-se que o auto-forno 2 da CSN possua aproximadamente 2 mil trabalhadores que atual direta ou indiretamente no setor. Existe ainda a possibilidade da siderúrgica não realizar as demissões, realocando os funcionários para outras funções.

Após outras gigantes do aço como Usiminas, Gerdau e ArcelorMittal anunciarem abafamento de parte de seus fornos, a CSN é a última empresa do seguimento a anunciar tal medida.

O alto-forno 2 pode operar com capacidade anual de cerca de 1,5 milhão de toneladas de ferro gusa. Por conta da redução da demanda por aço, atualmente a empresa estaria com estoque suficiente de aço para que o AF2 fique inativo até o final do ano, afirmam alguns executivos da siderúrgica. Cabe lembrar que a CSN opera ainda com o alto-forno 3, com capacidade anual de 3,35 milhões de toneladas de ferro gusa e que mantem uma operação que abrange cerca de 75% da capacidade da companhia. O auto-forno 1 não está em operação.