Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, anunciou o fechamento das atividades econômicas da cidade por sete dias, a partir desta sexta-feira, dia 26. O motivo é o aumento do número de casos e de ocupação de leitos hospitalares, tanto de média quanto de alta complexidade.

Outro agravante é a informação de que o Hospital Regional não irá receber novos pacientes de Covid-19. Atualmente, há dez moradores de Volta Redonda internados na unidade hospitalar. ''Se essas pessoas estivessem internadas na nossa rede, teríamos 70% dos leitos de UTI/CTI na rede municipal, um número acima da média. Por ora, o Hospital Regional não irá aceitar mais pacientes e isso implica em uma sobrecarga maior da nossa rede'', explicou Samuca.

Com isso, o prefeito decretou o fechamento das atividades econômicas na cidade por sete dias a partir de sexta-feira. Ficam abertos apenas os serviços considerados essenciais, como supermercados e drogarias.

Ainda na live, o prefeito lembrou que, desde o início da pandemia, a estratégia municipal foi garantir a capacidade de atendimento à população visando salvar vidas. ''Não podemos ver cenas em Volta Redonda de pessoas sofrendo atrás de leitos para salvar seus parentes, seus entes queridos. Essas cenas vimos em outras cidades e lamentamos. Mas não vamos deixar isso acontecer aqui'', afirmou Samuca, ressaltando que o município é referência em saúde na região, que acabará sendo afetada também por conta da não regulação para o Hospital Regional.

''Não podemos nos omitir nesse momento. Nosso objetivo é salvar vidas e é isso que estamos buscando, através de um parecer técnico da Secretaria de Saúde'', disse, destacando que a cidade teve um aumento de mais de 900% de ocupação de UTI na rede municipal de saúde. ''Infelizmente vimos cenas de aglomeração, festas, churrascos, comércios e bares cheios. Isso não pode acontecer'', comentou o prefeito.

Samuca atualizou ainda os dados da cidade. Agora são 1.301 casos confirmados e 5.217 notificados como suspeitos. Os curados são 1.037 e 1.488 exames deram negativos. São 59 óbitos em Volta Redonda. Houve um aumento de 4,65% dos casos suspeitos, ocupação de 8,77% dos leitos do Hospital de Campanha e 30% dos leitos de UTI da rede municipal (sem contar o Hospital Regional).