Na data em que se comemora o Dia do Comerciante - 16 de julho - a CDL Barra Mansa lembra a história viva do comércio da cidade, que envolve muitas famílias que sobrevivem do varejo e consumidores que se fidelizaram nas lojas barramansenses. Centro de diversos roteiros de tropas, Barra Mansa foi, em épocas remotas, o trajeto preferido pelos viajantes de Minas, São Paulo e Goiás, o que propiciou seu rápido desenvolvimento.
 
Entretanto, aquele caráter primitivo de simples pousada foi, pouco a pouco, perdendo-se, não só porque o intenso fluxo de mercadorias que transitavam em suas estradas convidava ao estabelecimento do comércio, como também pela fertilidade das terras que atraía os colonos para as atividades agrícolas. 
 
Na primeira metade do século XIX, houve uma multiplicação do número de fazendas, de engenhos e de plantações, destacando-se as de café. No ano de 1900, foi construído outro trecho ferroviário pertencente à Estrada de Ferro Oeste de Minas, que muito contribuiu para a retomada econômica de Barra Mansa. Com a promulgação da Lei Áurea, teve atingida sua economia em virtude do êxodo das lavouras. 
 
Barra Mansa, em seu crescente progresso, passou da pecuária à indústria. Em meio a essa história, famílias que vinham de diferentes lugares, abriam seus comércios na cidade. Algumas, antes da abertura da loja, transitavam a pé, pelas terras de Barra Mansa – a atual Resende, fazendo suas vendas.
 
As lojas vendiam de quase tudo um pouco. A diversidade ainda era pouca em relação à oferta de produtos: vestuário, calçado, acessório, mobiliário, material de construção, entre outros. A boa receptividade ao cliente e uma loja ao ladinho da outra, cada qual com sua característica familiar, foi atraindo e agradando o consumidor que por aqui passava. 
 
E, neste clima, o forte comércio foi crescendo, diversificando-se e acompanhando as tendências das grandes capitais que - com suas grandes redes e magazines - ainda não se instalavam no interior. 
 
Essa história, ainda viva na lembrança e no dia a dia dos lojistas que se mantêm em atividade até hoje no comércio, com mais de 60 e 70 anos de vendas no comércio, garante a fidelização de clientes muitas vezes vindos de Rio Claro, Angra dos Reis, Volta Redonda, Resende e Quatis. Uma tradição que, atualmente, gera cerca de 60% de emprego e renda no município e um trabalho que influencia diretamente no progresso econômico e na manutenção de muitas famílias.
 
*CDL Barra Mansa parabeniza os comerciantes pelo 16 de julho*
 
Há 57 anos, Barra Mansa ganhou uma entidade representativa com o propósito de auxiliar o lojista da cidade: a CDL, que atua diretamente no dia a dia do empresário, do comerciante, do comerciário, do prestador de serviço, da micro e pequena empresa e dos empreendedores individuais.  
 
Para o atual presidente da CDL Barra Mansa, Leonardo dos Santos, a classe empresarial, seja ela destinada a qualquer produto e serviço, está à frente como a principal fonte de geração e renda do município. “E esta posição, ainda hoje, firme e forte na cidade, é, para nós, um motivo de  orgulho e de muita responsabilidade. Afinal, a tradição de um comércio varejista forte continua sendo o destaque para Barra Mansa. Histórias de um passado que reverenciamos por suas conquistas, um presente que focamos a todo instante em busca de aperfeiçoamentos e um futuro planejado a todo o momento com vistas a vitórias que tanto almejamos com união e muito trabalho sempre. Parabéns a todos os comerciantes e suas equipes por essa profissão”.