Amanda Bonaldo vive a pouco mais de um ano na cidade Stradella, região da Lombardia na Itália, a cerca de uma hora de carro da capital Milão. Amanda, assim como milhares de brasileiros, foi para a Europa em busca da realização de um sonho de viver no 'Velho Continente' - recentemente ela conseguiu a tão desejada cidadania italiana, se estabeleceu no local, conseguindo inclusive levar seu filho para morar junto dela: 'eu vim primeiro para cá e fiquei um tempo para me adaptar. Voltei ao Brasil no ano passado e agora consegui trazer meu filho que veio com o propósito de estudar'. Explicou.

Mal sabia Amanda que passaria por um verdadeiro drama de proporções mundiais. A região da Lombardia, onde ela vive, hoje é o local onde se concentram os maiores índices de casos do novo coronavírus (COVID-19) na Itália, país que atualmente apresenta os números mais alarmantes do mundo. O país europeu ultrapassou a China (epicentro do vírus) em número de mortes, com 3405 vítimas fatais segundo última atualização da Organização Mundial de Saúde (OMS), na última quinta-feira (20). 

Amanda, que é de São Paulo, mas viveu grande parte de sua vida e mantem laços com a cidade de Pinheiral, no sul do estado do Rio, contou para o jornal Ponto como estão sendo os últimos e dramáticos dias, em meio ao colapso no sistema de saúde, na economia, e os interminaveis dias de quarentena obrigatória: 'não é permitido sequer um passo fora de casa sem uma justificativa'. Explicou.

Ainda segundo dados atualizados da OMS, até o momento foram registrados 41.035 casos da doença na Itália. No mundo todo já são 255.729 casos confirmados, com 10.495 óbitos. Para Amanda, a situação poderia estar mais branda se as pessoas tivessem levado isso mais a sério no começo da proliferaçao: 'A gente está vivendo um verdadeiro caos (na Itália). Está tudo fechado. Aqui está todo mundo respeitando a quarentena, até porque somos proibidos de sair de casa. Se for colocar o pé fora de casa sem justificafiva leva multa. Se for suspeito de ter contraído o vírus ou apresentar sintomas (e estiver na rua), é cadeia de 1 a 12 anos. Aqui só funciona mercado e farmácia e com muitas restrições. Ainda assim, o numero de contaminados e mortes só aumenta. O nosso problema aqui foi não ter levado à sério os primeiros alertas para ficar em casa, manter distância, lavar às mãos ou usar álcool em gel. As empresas foram fechando e as pessoas acharam que estavam em férias.' Argumentou.

 

Exército italiano, em uma fila solene se preparando para transportar os caixões de mais de 60 homens e mulheres (que morreram nesta guerra assustadora) para fora da região Lombardia para serem cremados, sem que nenhum ente querido possa se despedir (trecho de publicação de Amanda nas redes sociais)

 

Segundo o Ministério da Saúde, até o momento no Brasil foram registrados 650 casos da COVID-19, com 7 mortes confirmadas. Amanda aproveitou o exemplo do que acontece na Itália para relatar o colapso pelo qual passa o sistema de sáude italiano e faz um alerta aos brasileiros: 'aqui a saúde é muito boa e somos muito bem tratados, mas mesmo assim precisamos de ajuda de fora para tentar da conta, o que não está sendo suficiente. Eu recebi uma informação de que os hospitais de Bérgamo (a cerca de uma hora e meia de Stradella) vão passar a escolher quem vive e quem morre, tamanha é a falta de capacidade de atender a todos. Estamos sem previsão de quando isso vai acabar. A Itália entrou em colápso e a gente não sabe mais o que fazer. Por isso, se cuidem, fiquem em casa. Não é uma simples gripe. É uma gripe que está matando. O que puderem fazer para se prevenir, façam. Eu peço muito a Deus para que não aconteça no Brasil o que aconteceu aqui na Itália de você olhar para a janela e te dar nervoso por não poder sair de casa. Tenho certeza que 90% das pessoas aqui estão pirando igual a mim. Então se cuidem, por favor.' Concluiu emocionada.

O depoimento de Amanda em áudio foi divulgado pelo programa Bom Dia Cidade, na Rádio Cidade do Aço FM, com grande repercussão entre os ouvintes.

 

Confira aqui o trecho do programa com a participação de Amanda: